E-mail  |  Cadastro   |  Login   |  Mapa do Site  |  Home
Busca
Riscos Profissionais > Aspectos Psicológicos > Resultados
Resultados
Autor: Maria Rosa Rodrigues Rissi e Alcyone Artioli Machado - atualizado em 19/12/2008

Quadro 1
Elenco final de locuções, selecionadas através da Análise de Conteúdo

categoria

item

Locuções

trabalho

2.1

Para trabalhar com aids é preciso compreender o paciente

3.1

Para trabalhar com aids é preciso tratar o paciente com carinho

8.2

O trabalho na UETDI é diferente do trabalho nos outros setores

11.7

É difícil trabalhar com tranqüilidade na área de aids

1.4

O trabalho na UETDI é um desafio

2.1

O paciente é o principal motivo da profissão

3.3

O paciente é sentido como parte da família do profissional

1.2

O paciente com aids é revoltado

paciente

10.5

O paciente fica descrente de suas chances no início do tratamento

15.5

O paciente com aids tem problemas biológicos, psicológicos e sociais

6.1

É importante para o paciente que ele perceba sua melhora

7.2

Há pacientes que se arrependem de terem se exposto ao HIV

1.3

O risco de acidente deixa o profissional apreensivo durante todo o período de trabalho

2.3

O acidente ocupacional acarreta complicações ao profissional

3.3

O acidente faz com que o profissional fique desesperado

acidente

10.6

O acidente ocupacional causa revolta no profissional

12.1

O risco de acidente é um obstáculo ao trabalho do profissional

4.4

O acidente pode ser ocasionado pela pressa

14.2

Acidentes acontecem em situações de emergência quando os procedimentos devem ser realizados rapidamente

15.2

Acidentes ocorrem devido ao excesso de auto-confiança dos profissionais de saúde

 

Quadro 2
Síntese dos resultados da Análise do Instrumento de Avaliação de Necessidades e Motivação para a subamostra profissionais acidentados

 

Nível de Necessidade

 

sobrevivência

segurança

socialização

auto-estima

auto-realização

Sujeitos

A

B

C

D

E

1

=

=

=

2

ns

ns

ns

ns

ns

3

ns

ns

ns

ns

4

ns

ns

ns

=

5

=

ns

=

6

ns

ns

ns

ns

ns

7

=

ns

ns

=

8

ns

ns

ns

ns

ns

9

=

ns

ns

ns

10

ns

ns

ns

ns

11

ns

ns

ns

=

12

=

ns

ns

ns

13

ns

=

ns

ns

ns

14

=

ns

ns

ns

15

=

ns

ns

=

16

ns

ns

ns

ns

=

17

ns

ns

ns

ns

ns

18

ns

=

ns

ns

ns

19

=

ns

ns

=

20

=

ns

ns

=

21

ns

ns

ns

ns

ns

22

ns

ns

ns

=

23

ns

ns

ns

=

24

=

ns

ns

=

necessidade não-satisfeita
= necessidade satisfeita
ns não-significante


Quadro 3

Síntese dos resultados do Instrumento de Avaliação de Necessidades e Motivação para a subamostra profissionais não acidentados

 

Nível de Necessidade

 

sobrevivência

segurança

socialização

auto-estima

auto-realização

Sujeitos

A

B

C

D

E

25

=

ns

ns

=

26

=

=

=

27

ns

ns

ns

ns

ns

28

ns

=

 

29

=

=

=

30

=

=

=

31

ns

ns

ns

32

ns

ns

ns

=

33

ns

ns

ns

ns

ns

34

=

ns

ns

=

35

ns

ns

ns

ns

ns

— necessidade não-satisfeita
= necessidade satisfeita

ns não-significante


Quadro 4

Síntese dos resultados da Análise de Quadrantes para estudos de conjugação bxe

DIMENSÃO

ITEM

GRUPOS

P

Zp

QUADR

CONJUGAÇÃO
b x e

 

TRABALHO

1.2

 TOTAL

 .85

 11.59

 C

Alta força da crença, valorizada positivamente de que para trabalhar com aids é preciso compreender o paciente

 1.3

 TOTAL

 .85

 11.59

 C

Alta força da crença, valorizada positivamente de que para trabalhar com aids é preciso tratar o paciente com carinho

1.8

TOTAL

.46

-1,00

C

Não significante

 1.11

ACIDEN

.34

-3.55

E

Não significante

NÃO ACIDEN

.25

-3.82

E, F

Não significante

1.12

TOTAL

48

-0.5

C

Não significante

 

PACIENTE

 

2.2

 

TOTAL

 

.66

 

4.00

 

C

Alta força da crença, valorizada positivamente de que o paciente é o principal motivo da profissão do profissional de saúde

2.3

TOTAL

.26

-6.47

C, E

Não significante

2.1

TOTAL

.49

-.23

H

Não significante

 

2.10

 

TOTAL

 

.71

 

5.47

 

I

Alta força da crença, valorizada negativa-mente de que o paciente com aids fica descrente de suas chances no início do tratamento

 

2.15

 

TOTAL

 

.71

 

5.47

 

I

Alta força da crença, valorizada negativamente de que o paciente com aids tem problemas biológicos, psicológicos e sociais

2.6

TOTAL

.00

a

C

 

2.7

TOTAL

.63

3.18

C

Alta força da crença, valorizada positiva-mente de que o paciente se arrepende de Ter se exposto ao vírus da aids

 

ACIDENTE

3.1

TOTAL

.26

-6.48

E,I

Não significante

 

3.2

 

TOTAL

 

.60

 

2.41

 

I

Alta força da crença, valorizada negativamente de que o acidente acarreta complicações para a vida pessoal do profissional de saúde

 

3.3

 

TOTAL

 

.60

 

2.41

 

I

Alta força da crença, valorizada negativa-mente de que o acidente ocupacional faz com que o profissional fique desesperado

 

3.10

 

TOTAL

 

.66

 

4.00

 

I

Alta força da crença, valorizada negativa-mente de que o acidente ocupacional causa revolta no profissional de saúde

 3.12

 TOTAL

 .40

-2.41

 E

 Não significante

 

3.4

 

TOTAL

 

.60

 

2.41

 

I

Alta força da crença, valorizada negativa-mente de que o acidente ocupacional pode ser ocasionado pela pressa

 3.14

 TOTAL

 .40

 -2.41

 I

 Não significante

3.15

TOTAL

.26

-6.47

 E

 Não significante



Riscobiologico.org - Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.          criação: AldeiaCom