E-mail  |  Cadastro   |  Login   |  Mapa do Site  |  Home
Busca
Riscos Profissionais > Alergia ao Látex > Tratamento
Tratamento
Autor: Rosimeire A. Mendes Lopes - atualizado em 19/12/2008

Para realizar a prevenção primária da hipersensibilidade do tipo I ao látex, como em qualquer programa de controle do ambiente com o objetivo de prevenir doenças ocupacionais, deve-se fazer o controle da exposição aos riscos ou corrigi-los. Na grande maioria dos países europeus, nos Estados Unidos e Canadá, a responsabilidade legal para reduzir a exposição aos riscos no trabalho é do empregador e, em sua grande maioria, os trabalhos indexados têm seus objetivos centrados na exploração dos fatores de risco para a hipersensibilidade e na formulação de medidas de prevenção da doença (SMEDLEY, 2000).


O uso de luvas com baixa quantidade de alérgenos e luvas sem talco é reconhecido por várias organizações como o mecanismo mais importante no estabelecimento de um ambiente seguro ao látex (GOLAS & DURRANCE, 2001).


Os estudos demonstram que as luvas com pó contêm mais proteínas do que as luvas sem pó (MAHLER et al., 2000) e que o pó presente nas luvas representa um fator de risco ocupacional para a sensibilização pela dispersão de antígenos, principalmente as proteínas hidrossolúveis. Assim, o pó que é adicionado à luva para facilitar a sua colocação parece aumentar a exposição aos alérgenos do látex pelo contato direto com a pele e pelo trato respiratório (SMEDLEY, 2000).


Segundo documento emitido pelo Institute for Occupational Safety and Health (NIOSH) em 1997 e reafirmado pelo Occupational Safety & Health Administration (OSHA) em 1999, foi recomendado aos empregadores adotar uma política de proteção aos trabalhadores quanto à exposição ao látex no trabalho. Estas medidas incluem o fornecimento de luvas sem látex, onde há pouco potencial para o contato com material infeccioso (áreas de manipulação de alimentos) e de luvas de látex com baixa quantidade de proteínas, entre outras. Adicionalmente, recomenda-se aos trabalhadores com hipersensibilidade do tipo I ao látex evitar o contato e uso de luvas, e de outros produtos, que contenham látex.


Para indivíduos com hipersensibilidade do Tipo I a única maneira de prevenir sintomatologia é evitar utilizar ou entrar em contato com produtos de látex de borracha natural. Oferecer um ambiente seguro aos profissionais significa disponibilizar luvas de matéria-prima que não seja de látex de borracha natural, como luvas de nitrile ou vinil. As luvas de látex mesmo sendo submetidas a processos de manufatura especiais para obter produtos com baixos níveis de proteína não são consideradas seguras devido à impossibilidade de extração total das proteínas. O uso de luvas com talco também devem ser desencorajados para prevenir a sensibilização de novos trabalhadores.


Os profissionais da saúde que apresentam hipersensibilidade tardia do tipo IV aos aditivos químicos devem ser diagnosticados precisamente e devem evitar marcas de luvas que causam reação alérgica, pois diferentes produtos apresentam potencial alergênico diferente. Medidas para se reduzir dermatite irritante inclui medidas como evitar o uso de luvas com talco; melhorar a qualidade de papel-toalha utilizado para enxugar as mãos e deve ser considerada também a qualidade dos sabões anti-sépticos.



Riscobiologico.org - Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.          criação: AldeiaCom